A oração segundo o pai [Luzia Couto]

Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; (MATEUS 6:1). Quando fazemos a oração do Pai Nosso, aquela mesma que jesus nos ensinou, será que fazemos de maneira correta?

É uma oração simples com um efeito muito grande em nossas vidas e não podemos esquecer que, quando oramos falamos com Deus. É um momento único. Precisamos estar atentos para este momento. Estar com o coração ligado ao Senhor. Ter a mente desligada dos problemas terrenos para que estejamos ligados diretamente a Ele. Para isto primeiro precisamos revisar nossa consciência, deixar todo e qualquer produto da imaginação longe do foco. Ao fazermos um exame de consciência, revemos nossas ações e por elas pedimos perdão a Deus. Ele em sua infinita bondade e misericordia, nos perdoa, pois é todo amor. Cabe a nós tendo conhecimento de nossas falhas, procurarmos evitar o que nos afasta de Deus.

Quando dizemos na oração do Pai Nosso, “Santificado seja o teu nome”, será que estamos fazendo jus a Santificação de Cristo? “Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu”. Podemos dizer que aceitamos a vontade de Deus ou só estamos pedimos para que Ele faça a nossa vontade? É muito complicado aceitar a vontade de Deus quando pensamos em nossa vontade. As vezes queremos muito uma determinada coisa e insistimos tanto pedindo, que esquecemos de dizer primeiro: “Pai que seja feita a tua vontade”. Ainda bem que nosso Deus nos concede aquilo que lhe pedimos. Ocorre que em muitos casos, Ele nos concede segundo o que precisamos e não aquilo que pedimos. E neste caso, aceitamos com humildade ou maldizemos nosso Deus?

Também podemos dizer de todo coração que perdoamos nossos devedores, assim como nosso Pai nos perdoa? Muitas vezes queremos o perdão de Deus para todas nossas falhas, mas se nosso irmão nos ofende, nós o condenamos, deixamos de lhe dirigir a palavra, ignorando-o. Como vamos pedir perdão se não perdoamos, primeiro temos que perdoar, dai então pedir perdão, mas é um perdoar sincero, então estaremos prontos a receber o perdão de Deus.


Texto escrito por Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer natureza ou divulgação em qualquer meio, do todo ou parte desta obra, sem autorização expressa da autora sob pena de violação das Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual.



Seguidores do Google