Pular para o conteúdo principal

Mensagem de reflexão.

“Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento.” Ec. 12.1
Quero trazer uma mensagem voltada para os jovens cristãos, pois sabemos que os jovens são a grande força e o futuro da Igreja, como também o futuro das demais áreas a serem ocupadas na sociedade.
O que Salomão está nos ensinando através dessa passagem? Ele diz: “lembra do teu Criador nos dias da tua mocidade…” Está querendo expressar que o período da nossa vida onde temos maior disposição, energia, vigor, no qual estamos no auge da condição física, é o tempo da juventude.
Sabemos que um jovem quando determina fazer algo e coloca isso na sua cabeça, ninguém pode barrá-lo ou impeli-lo; ele não mede esforços para conquistar ou pôr em prática seus planos. E o versículo ensina que é nesse momento da vida de um homem, na juventude, tempo de toda essa disposição, que devemos gastá-lo com Deus. Lançar toda essa energia e determinação nas coisas de Deus e na sua Palavra. Essa deveria ser a principal meta da juventude cristã: adquirir bagagem, conhecimento de Deus, experiências com Ele, adquirir profundo conhecimento bíblico, gastar horas em oração, começar a desenvolver um ministério, crescer à imagem de Cristo, ser um autêntico discípulo dele. Mas não é isso que tem acontecido com a juventude moderna. Eles estão envolvidos em inúmeras situações que não estão totalmente voltadas para Deus.
Quantos cristãos estão gastando sua vida e depositando todos os seus sentimentos em um relacionamento, que na maioria dos casos está fora da direção de Deus, da aprovação dos pais e fora do tempo certo, tornando esses jovens dependentes desse relacionamento. Eles investem toda a força no relacionamento, o que muitas vezes prejudica suas demais áreas da vida como: rendimento escolar, trabalho, relacionamento com outras pessoas e principalmente prejudica o relacionamento com Deus, a comunhão com o Espírito Santo e a identificação com as Escrituras, pois este tipo de jovem não tem tempo, nem coração pronto para isso.
Tudo em sua vida está voltado para o relacionamento. São as chamadas paixões e romances juvenis, que em muitas partes têm sido apoiadas pelas “igrejas modernas”, que patrocinam encontros juvenis e até encontros de casais solteiros, estimulando o jovem a gastar sua juventude atrás de um relacionamento e não de Deus.
Um relacionamento cristão não pode ser como o relacionamento ímpio, nem como a cultura ímpia! Temos a mente de Cristo e devemos seguir uma cultura bíblica, deve-se ter uma preparação para iniciar o relacionamento, devem haver condições para que um relacionamento seja sustentando.
Veja o que a Bíblia diz em Gn. 2.24: “Portanto deixará o homem seu pai e sua mãe, e apegar-se-à à sua mulher…” Preste atenção no padrão bíblico: não diz deixará o “menino” sua mãe… deixará o “adolescente” sua mãe… A Palavra diz: “deixará o homem”. Alguém maduro, capaz de sustentar emocional e financeiramente um relacionamento, uma pessoa preparada para um futuro matrimônio. É isso que a Bíblia ensina sobre namoro: o namoro só deve se iniciar quando o casal tem a intenção do matrimônio, e juntamente com a intenção, deve haver uma mínima condição do matrimônio. O que sair disso é apenas lascívia, satisfação da carne para ambos. Isso é pecado. Se não há propósito do matrimônio, o namoro não é bíblico nem é abençoado por Deus!


Querem inventar um tipo de evangelho para cada classe de cristão. Nesse caso um evangelho para jovens. Já que a maioria desses ministérios não confiam no poder do Espírito Santo e na Sua capacidade de convencer o pecador, nem são capazes de atrair os jovens pela pregação do Evangelho. Assim, trazem formas alternativas de atrair os jovens, como as “festas gospel”, fazendo disso um ministério, usando camisas coloridas, frases fortes e até “cara-pintada”, dizendo: “somos jovens cristãos radicais”.
Ao invés desses jovens estarem crescendo em conformidade com o caráter de Cristo, estão envolvidos e gastando suas energias nessas atividades, satisfazendo a carne em “festas” que não promovem a santificação e a edificação de nenhum jovem. O único propósito desses eventos é a satisfação pessoal. E aquilo que os jovens não poderiam fazer no mundo, eles estão fazendo dentro da Igreja, e ainda com titulo de “ministério jovem”. Não vejo nada de radical nessas “festas”, nada de extravagante, nem vejo uma maneira do jovem estar cumprindo o que está escrito em Eclesiastes 12.1: gastar sua vida com Cristo.
Não existe um tipo de Evangelho para cada classe de cristão, o evangelho se estende para todas as pessoas de todas as classes, sexos e idade. Não temos que reinventar o Evangelho e trazer formas mundanas para atrair pessoas e mantê-las na Igreja, pois isso não é bíblico, não tem a aprovação de Deus.
Muitas pessoas usam o trecho no qual Davi aparece pulando diante da arca (1Cr. 15:25-29) para apoiar essa “doutrina gospel” e dizem que essas “festas” simbolizam a nossa alegria, “que temos que ser alegres”… Desculpe mas você deve estudar a Bíblia: 1º – Davi estava saltando diante da arca – que é a personificação da presença de Deus – com santidade, reverência e temor!
Entretanto não é isso o que acontece nessas “festas”: as danças e pulos são carnais, dão satisfação e prazer carnal e ninguém ali esta pulando diante da arca, pois ela não e nunca estará presente nessas festas. 2º – Temos sim que ser alegres todo o tempo (Fp. 4.4), mas a nossa alegria vem do cumprimento bíblico, vem da obediência a Cristo, ela é fruto do Espírito Santo e esse fruto (alegria) só vem mediante a santidade, pois o Espírito que libera o fruto é “SANTO” e não há santidade alguma nessas festas, nem qualquer sujeição às Escrituras… 

Mais Lidas do Mês

O amor segundo a Bíblia.

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Corintios 13: 4-7). Graça e paz do Senhor aos amados irmãos em Cristo em todas as igrejas do mundo que se anunciam pelo seu nome. Amados, um assunto vem me inquietando a muito tempo. O Amor. Porque as pessoas reclamam tanto que não são amadas? Porque tantas pessoas confessam não acreditarem no amor e dizem que ele não existe? Mas afinal, existe ou não amor? Vamos por parte queridos. O amor existe sim, existe e é verdadeiro. O que muitas vezes deixa de existir é a coragem para renunciar a si e amar o outro. Ora meus queridos, a Bíblia diz que o amor não é invejoso, portanto anulamos aquele sentimento que nos leva a desejar um amor exclusivo e possessivo. Percebam …

Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 10,23.

Precisamos deixar que Deus ilumine nosso olhar, para contemplarmos o Seu Reino presente no meio de nós .
“Felizes os olhos que veem o que vós vedes!” (Lucas 10, 23).Jesus está exultando de alegria pelo Pai, louvando e bendizendo, porque não foi aos sábios, aos grandes, poderosos e entendidos que o Pai revelou os segredos do Reino, mas aos humildes de coração, àqueles que dispõe do seu coração qualquer soberba e orgulho, e o abrem para contemplar as manifestações de Deus no meio de nós. Deixe-me dizer ao seu coração: onde está a mão de Deus, que não a vejo? Onde está a graça de Deus quando me toca? Onde estão os prodígios de Deus que as pessoas exultam e eu não consigo ver? Felizes os humildes, os bem-aventurados, aqueles que estão na humildade de coração, porque são esses que contemplam a glória, a ação, a graça de Deus agindo no meio de nós! O problema não é a mão de Deus, que não está agindo, o problema é o nosso coração que não se despiu, não se revestiu de graça e humildade. Se nã…

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 11,130.| Luzia Couto.

“Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” (Lucas 11, 130)Jesus, hoje, continua nos ensinando elementos essenciais que não podem faltar em nossa oração. A nossa oração tem de ser a oração de confiança, para dizermos: “Eu sei o que Jesus pode fazer por mim e eu confio n’Ele!”.Quem confia, não desconfia. Quem confia, sabe esperar. Quem confia, sabe que Deus jamais nos abandonará! Mas, pode ser que no fruto da nossa oração não tenhamos conseguido de Deus aquilo que queríamos. Deus é tão bom e tão Pai, que não dá aquilo que queremos, mas o que precisamos! É preciso pedir, é preciso realmente bater à porta e não deixar nunca de fazer. Sabe meus irmãos, muitas vezes não crescemos nas virtudes, deixamos de aprender muitas coisas na vida porque não temos perseverança e insistência. Somos bons para começarmos muitas coisas, somos bons para fazermos muitos propósitos, mas à medida que aparecem dificuld…