Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 18: 07.


A viúva do Evangelho de hoje é o exemplo do homem e da mulher orantes e perseverantes na oração. Sabemos que a oração exige alguns elementos para que possa atingir a eficácia. Não basta orarmos por orar se a oração não é movida pela fé, pela insistência, perseverança e confiança que estamos dirigindo ao nosso Pai. E Ele há de nos escutar! Muitas pessoas desistem, não perseveram na oração. Muitos de nós até começamos bem a vida de oração, mas depois desistimos por causa dos entraves da vida. A viúva do Evangelho de hoje é o exemplo daquilo que Jesus está nos dizendo, que é preciso rezar sempre e nunca desistir. Sabe, essa mulher foi insistente; no “bom português”, ela foi muito “chata” com aquele juiz que queria se ver livre dela. Para que ela não o incomodasse mais, ele fez justiça a ela. Deus não fará injustiça aos Seus eleitos, Seus escolhidos e servos que, dia e noite, estão Lhe suplicando. Desse modo, não desista da oração, não desista da súplica e dos pedidos, não desista de estar aos pés de Jesus. Desistir é um fracasso, é uma derrota, mas quem quiser ser vitorioso na vida, terá de ora sem cessar, até o último instante. Perseverança é uma graça a ser alcançada, almejada. É preciso que haja insistência da nossa parte; não podemos deixar de correr atrás daquilo que acreditamos, porque as coisas, às vezes, não vêm com a pressa, no tempo em que queremos. Vivemos na sociedade do “imediatismo”, as coisas tem de acontecer rápido, correndo. As coisas de Deus acontecem no tempo de Deus, a graça d’Ele vem no tempo oportuno para aqueles que perseveram, que insistem e oram sem cessar, que não saem da Sua presença aconteça o que acontecer! Que a viúva do Evangelho de hoje seja para nós um estímulo; que ela seja, na verdade, uma motivação maior para não desistirmos jamais da oração!

Seguidores do Google