Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Mateus 05:19.

Amados irmãos e irmãs, por menor que seja este ou aquele mandamento – embora sejamos nós quem os diminuímos, considerando que este ou aquele é maior, mais importante –, eles se resumem em um só, no amor acima de todas as coisas, no amor a Deus e ao próximo.Por isso, quem ama procura não negligenciar nem distorcer o amor; procura não ferir o amado. Quando o amor é verdadeiro, é intenso, procuramos de todas as formas guardá-lo em nosso coração. Não considere nenhum mandamento menos importante: “Eu sou muito bom, sou fiel a Deus em tudo! Eu só não consigo deixar de fazer isso ou aquilo!”. Uma coisa é reconhecermos nossa fraqueza e nosso limite, outra coisa é considerarmos que é normal fazer aquilo que não é normal.
Uma coisa é dizermos: “Não, não tem problema! Você pode fazer isso, porque nas outras coisas você já é bom!”. Você pode reconhecer: “Eu tenho dificuldade, tenho essa fraqueza, mas estou me esforçando, lutando para mudar. Mesmo caindo, eu me levanto e começo de novo. Só não posso transformar o meu pecado em algo normal e querer convencer o outro, ensinar-lhe que não há problema em fazer isso ou aquilo que é errado.
Desculpe dizer a você, mas roubar é roubar, furtar é furtar. Não existe corrupção apenas para quem é grande e poderoso. “Eu faço coisas pequenas. Qual é o problema?”. Não! O roubo do outro é grande e merece punição pelo tamanho da negligência que ele praticou, mas as pequenas coisas que fazemos, não podem ser desconsideradas: “Ah, tem gente que faz coisa pior! Ah, eu não faço isso ou aquilo!”.
Para crescer na virtude, não podemos reparar a vida dos outros, mas sim a nossa própria vida. Os mandamentos da Lei de Deus são espelhos para o mundo, para nossa própria alma e coração. Então, eu preciso olhar para esse espelho e reconhecer-me.
Ir à profundidade da alma é reconhecer onde falhamos, mas nunca nos comparando aos outros, nunca dizendo: “Eu nunca fiz isso! Eu não faço aquilo!”. Precisamos reconhecer onde não colocamos em prática os mandamentos do Senhor, pois eles são leis da vida, são vida para nossa vida.O Senhor não veio abolir as leis nem os mandamentos, mas para os potencializar, levá-los à plenitude, a fim de que, ao vivenciarmos os mandamentos, nossa vida seja abençoada, seja de acordo com a vontade de Deus. Que não negligenciemos os mandamentos nem ensinemos aos outros a pratica do que é errado.

Seguidores do Google