Pular para o conteúdo principal

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | At 5, 19,20.

Durante a noite, o anjo do Senhor abriu as portas da prisão e os fez sair, dizendo: “Ide falar ao povo, no Templo, sobre tudo o que se refere a este modo de viver” (At 5, 19-20). Os apóstolos foram presos e levados às prisões por causa do testemunho de Cristo, pelo modo de vida que tinham. E que modo de vida era este? Era uma vida diferente, que causava realmente impacto no meio daquela sociedade; era um verdadeiro testemunho de vida.Os cristãos chamavam atenção não porque usavam roupas diferentes ou porque eram melhores do que os outros. Eram, muitas vezes, até mais pobres, mais necessitados, mas eram os mais alegres e felizes, tinham uma alegria contagiante e testemunhavam-na. Alegria, em primeiro lugar, da partilha, pois não passavam necessidades entre si, repartiam o que tinham. Depois a unidade: não eram sozinhos, eram irmãos, cada um podia cuidar do outro. Estavam presos, mas não se sentiam sozinhos na prisão, porque quem estava do lado de fora estava unido a eles em oração, em vigília; estavam, de alguma forma, vivendo o mesmo que eles.A comunhão vivida entre eles era um grande testemunho. Era como se dissessem: “Eu não sou cristão sozinho, eu estou em comunhão com outros que vivem a mesma fé que eu”, por isso mesmo, na prisão, não estavam tristes nem desanimados; pelo contrário, faziam aquela prisão tremer com oração, com louvores e cânticos. De modo que o próprio anjo do Senhor os fez sair da prisão para que fossem testemunhar e falar ao povo sobre este modo de viver.Meus irmãos, Deus não nos quer presos, não nos quer de forma nenhuma intimidados com a nossa forma de vida; pelo contrário, Ele quer que levemos nossa forma de viver, a nossa alegria a outros. Mas, antes de levar, precisamos primeiro viver a alegria de ser de Cristo, de ser discípulo d’Ele e tê-Lo como o Senhor de nossa vida. A alegria de termos a vida em comum, não que todos sejam iguais ou cópia um do outro, mas sim a mesma fé, uma vida em comum enquanto seguidores de Cristo, e somos capazes de cuidar uns dos outros.Quando testemunhamos aquilo que vivemos, nosso modo de viver passa a ser almejado também por outros!

Mais Lidas do Mês

O amor segundo a Bíblia.

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Corintios 13: 4-7). Graça e paz do Senhor aos amados irmãos em Cristo em todas as igrejas do mundo que se anunciam pelo seu nome. Amados, um assunto vem me inquietando a muito tempo. O Amor. Porque as pessoas reclamam tanto que não são amadas? Porque tantas pessoas confessam não acreditarem no amor e dizem que ele não existe? Mas afinal, existe ou não amor? Vamos por parte queridos. O amor existe sim, existe e é verdadeiro. O que muitas vezes deixa de existir é a coragem para renunciar a si e amar o outro. Ora meus queridos, a Bíblia diz que o amor não é invejoso, portanto anulamos aquele sentimento que nos leva a desejar um amor exclusivo e possessivo. Percebam …

Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 10,23.

Precisamos deixar que Deus ilumine nosso olhar, para contemplarmos o Seu Reino presente no meio de nós .
“Felizes os olhos que veem o que vós vedes!” (Lucas 10, 23).Jesus está exultando de alegria pelo Pai, louvando e bendizendo, porque não foi aos sábios, aos grandes, poderosos e entendidos que o Pai revelou os segredos do Reino, mas aos humildes de coração, àqueles que dispõe do seu coração qualquer soberba e orgulho, e o abrem para contemplar as manifestações de Deus no meio de nós. Deixe-me dizer ao seu coração: onde está a mão de Deus, que não a vejo? Onde está a graça de Deus quando me toca? Onde estão os prodígios de Deus que as pessoas exultam e eu não consigo ver? Felizes os humildes, os bem-aventurados, aqueles que estão na humildade de coração, porque são esses que contemplam a glória, a ação, a graça de Deus agindo no meio de nós! O problema não é a mão de Deus, que não está agindo, o problema é o nosso coração que não se despiu, não se revestiu de graça e humildade. Se nã…

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 11,130.| Luzia Couto.

“Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” (Lucas 11, 130)Jesus, hoje, continua nos ensinando elementos essenciais que não podem faltar em nossa oração. A nossa oração tem de ser a oração de confiança, para dizermos: “Eu sei o que Jesus pode fazer por mim e eu confio n’Ele!”.Quem confia, não desconfia. Quem confia, sabe esperar. Quem confia, sabe que Deus jamais nos abandonará! Mas, pode ser que no fruto da nossa oração não tenhamos conseguido de Deus aquilo que queríamos. Deus é tão bom e tão Pai, que não dá aquilo que queremos, mas o que precisamos! É preciso pedir, é preciso realmente bater à porta e não deixar nunca de fazer. Sabe meus irmãos, muitas vezes não crescemos nas virtudes, deixamos de aprender muitas coisas na vida porque não temos perseverança e insistência. Somos bons para começarmos muitas coisas, somos bons para fazermos muitos propósitos, mas à medida que aparecem dificuld…