Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 13,24. Escritora Luzia Couto


No Reino dos Céus é preciso deixar de lado todas as injustiças, ser reto, ser correto e, acima de tudo, não corromper a alma e o coração por qualquer vantagem. “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão” (Lucas 13, 24).A reflexão do Evangelho de hoje começa com uma pergunta feita a Jesus enquanto Ele atravessava o caminho: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” (Lucas 13, 23).
Jesus não diz se serão poucos ou muitos que se salvarão, mas indica qual é o caminho e o esforço necessário para se salvar, porque sem o esforço ninguém entra no Reino dos Céus!
A graça vem ao nosso encontro, e precisamos corresponder à ela. Essa graça, que vem do Reino dos Céus, é uma porta estreita. Se há uma porta pequena e uma larga, todos vão querer entrar pela porta larga. É óbvio, porque a porta larga é mais fácil, mais acessível e não tem aperto. Para entrar numa porta ‘pequenininha’ temos que empurrar um ao outro, até dá para todos entrarem, mas não queremos saber de aperto e nem de dificuldades. Vivemos no tempo das facilidades. Quanto mais fácil for o caminho, é por ele que vamos andar. Muitas vezes, não importa quais são os meios, o que é feito para se passar por essa via que parece ser mais fácil. O que importa é ir. O Reino dos Céus é um dos meios mais importantes. No Reino de Deus é muito necessário aplicar, ver e rever quais são nossas posturas, nossos atos e atitudes. O que conta no Reino dos Céus é o esforço da alma e do coração!  E para que esse esforço? Esforço pelas virtudes, pela santidade e para viver o amor.  É fácil ser santo? Não é não! É difícil? Também digo que não, menos ainda impossível, porque a graça de Deus nos auxilia. O que torna difícil é o caminho que, muitas vezes, trilhamos. Porque querer ser santos e viver no mundo, querer viver no mundo e ser santo nem sempre é fácil. “Mas eu preciso viver no mundo do mesmo jeito!”. Sim, precisamos viver no mundo, o que não podemos é nos deixar enveredar por ele, deixar que nossa mente se corrompa pelas seduções dele. O mundo tem a porta alargada, a porta aberta, em que todos entram com tanta facilidade para conseguir isso e aquilo. Eu fico olhando o meio como muitas pessoas, hoje, obtém dinheiro, lucros, vantagens… Muitas vezes, são meios fáceis que facilitam para uns e para outros, e não importa como isso foi conseguido, de que forma a coisa foi feita.  Vamos deixando que pequenas e grandes corrupções se apoderem da nossa alma e do nosso coração. Para entrarmos no Reino dos Céus é preciso deixar de lado todas as injustiças, ser reto, ser correto e, acima de tudo, não corromper a alma e o coração por qualquer vantagem, por qualquer lucro, por qualquer coisa que nos coloque melhor ou na frente dos outros. É preciso nas pequenas coisas viver a grandiosidade do Reino dos Céus!  A porta de Cristo nos salva! A porta das facilidades do mundo abre os caminhos para a perdição, para o inferno, e não é por ela que queremos entrar.

Seguidores do Google