Pular para o conteúdo principal

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 13,24. Escritora Luzia Couto


No Reino dos Céus é preciso deixar de lado todas as injustiças, ser reto, ser correto e, acima de tudo, não corromper a alma e o coração por qualquer vantagem. “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão” (Lucas 13, 24).A reflexão do Evangelho de hoje começa com uma pergunta feita a Jesus enquanto Ele atravessava o caminho: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” (Lucas 13, 23).
Jesus não diz se serão poucos ou muitos que se salvarão, mas indica qual é o caminho e o esforço necessário para se salvar, porque sem o esforço ninguém entra no Reino dos Céus!
A graça vem ao nosso encontro, e precisamos corresponder à ela. Essa graça, que vem do Reino dos Céus, é uma porta estreita. Se há uma porta pequena e uma larga, todos vão querer entrar pela porta larga. É óbvio, porque a porta larga é mais fácil, mais acessível e não tem aperto. Para entrar numa porta ‘pequenininha’ temos que empurrar um ao outro, até dá para todos entrarem, mas não queremos saber de aperto e nem de dificuldades. Vivemos no tempo das facilidades. Quanto mais fácil for o caminho, é por ele que vamos andar. Muitas vezes, não importa quais são os meios, o que é feito para se passar por essa via que parece ser mais fácil. O que importa é ir. O Reino dos Céus é um dos meios mais importantes. No Reino de Deus é muito necessário aplicar, ver e rever quais são nossas posturas, nossos atos e atitudes. O que conta no Reino dos Céus é o esforço da alma e do coração!  E para que esse esforço? Esforço pelas virtudes, pela santidade e para viver o amor.  É fácil ser santo? Não é não! É difícil? Também digo que não, menos ainda impossível, porque a graça de Deus nos auxilia. O que torna difícil é o caminho que, muitas vezes, trilhamos. Porque querer ser santos e viver no mundo, querer viver no mundo e ser santo nem sempre é fácil. “Mas eu preciso viver no mundo do mesmo jeito!”. Sim, precisamos viver no mundo, o que não podemos é nos deixar enveredar por ele, deixar que nossa mente se corrompa pelas seduções dele. O mundo tem a porta alargada, a porta aberta, em que todos entram com tanta facilidade para conseguir isso e aquilo. Eu fico olhando o meio como muitas pessoas, hoje, obtém dinheiro, lucros, vantagens… Muitas vezes, são meios fáceis que facilitam para uns e para outros, e não importa como isso foi conseguido, de que forma a coisa foi feita.  Vamos deixando que pequenas e grandes corrupções se apoderem da nossa alma e do nosso coração. Para entrarmos no Reino dos Céus é preciso deixar de lado todas as injustiças, ser reto, ser correto e, acima de tudo, não corromper a alma e o coração por qualquer vantagem, por qualquer lucro, por qualquer coisa que nos coloque melhor ou na frente dos outros. É preciso nas pequenas coisas viver a grandiosidade do Reino dos Céus!  A porta de Cristo nos salva! A porta das facilidades do mundo abre os caminhos para a perdição, para o inferno, e não é por ela que queremos entrar.

Mais Lidas do Mês

O amor segundo a Bíblia.

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Corintios 13: 4-7). Graça e paz do Senhor aos amados irmãos em Cristo em todas as igrejas do mundo que se anunciam pelo seu nome. Amados, um assunto vem me inquietando a muito tempo. O Amor. Porque as pessoas reclamam tanto que não são amadas? Porque tantas pessoas confessam não acreditarem no amor e dizem que ele não existe? Mas afinal, existe ou não amor? Vamos por parte queridos. O amor existe sim, existe e é verdadeiro. O que muitas vezes deixa de existir é a coragem para renunciar a si e amar o outro. Ora meus queridos, a Bíblia diz que o amor não é invejoso, portanto anulamos aquele sentimento que nos leva a desejar um amor exclusivo e possessivo. Percebam …

Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 10,23.

Precisamos deixar que Deus ilumine nosso olhar, para contemplarmos o Seu Reino presente no meio de nós .
“Felizes os olhos que veem o que vós vedes!” (Lucas 10, 23).Jesus está exultando de alegria pelo Pai, louvando e bendizendo, porque não foi aos sábios, aos grandes, poderosos e entendidos que o Pai revelou os segredos do Reino, mas aos humildes de coração, àqueles que dispõe do seu coração qualquer soberba e orgulho, e o abrem para contemplar as manifestações de Deus no meio de nós. Deixe-me dizer ao seu coração: onde está a mão de Deus, que não a vejo? Onde está a graça de Deus quando me toca? Onde estão os prodígios de Deus que as pessoas exultam e eu não consigo ver? Felizes os humildes, os bem-aventurados, aqueles que estão na humildade de coração, porque são esses que contemplam a glória, a ação, a graça de Deus agindo no meio de nós! O problema não é a mão de Deus, que não está agindo, o problema é o nosso coração que não se despiu, não se revestiu de graça e humildade. Se nã…

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 11,130.| Luzia Couto.

“Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” (Lucas 11, 130)Jesus, hoje, continua nos ensinando elementos essenciais que não podem faltar em nossa oração. A nossa oração tem de ser a oração de confiança, para dizermos: “Eu sei o que Jesus pode fazer por mim e eu confio n’Ele!”.Quem confia, não desconfia. Quem confia, sabe esperar. Quem confia, sabe que Deus jamais nos abandonará! Mas, pode ser que no fruto da nossa oração não tenhamos conseguido de Deus aquilo que queríamos. Deus é tão bom e tão Pai, que não dá aquilo que queremos, mas o que precisamos! É preciso pedir, é preciso realmente bater à porta e não deixar nunca de fazer. Sabe meus irmãos, muitas vezes não crescemos nas virtudes, deixamos de aprender muitas coisas na vida porque não temos perseverança e insistência. Somos bons para começarmos muitas coisas, somos bons para fazermos muitos propósitos, mas à medida que aparecem dificuld…