Pular para o conteúdo principal

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Mateus 7,24.

“Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha” (Mateus 7, 24). Todos nós deveríamos, a cada dia de nossa vida, fazer um verdadeiro exame de consciência. Esse exame é, de fato, para nos examinarmos a partir da Palavra de Deus, para percebermos em nós, em nossas práticas, ações, atitudes, escolhas e opções de vida quando estamos e quando não estamos colocando a Palavra de Deus em prática. Essa é a obrigação de todo pregador, de todo homem, mulher, pai e mãe de família, de todo cristão: examinar a si em primeiro lugar. Aquilo que falamos ao outro precisamos viver em primeiro lugar. Às vezes, é preocupante quando acumulamos muitos conhecimentos, muita sabedoria e teorias a respeito de tantas coisas da vida, mas não nos empenhamos em colocá-las em prática. É tão ruim vermos uma casa que se levanta e depois se destrói, acaba-se por falta de alicerce, de um fundamento que seja firme. O fundamento primeiro da vida cristã não é o conhecimento das verdades da fé, mas a prática e a vivência da Palavra de Deus a cada dia! Por isso, se não nos esforçamos, se não nos empenhamos nem buscamos, a cada dia, refletir cada um de nossos atos e atitudes, perdemo-nos em meio a tudo isso. Quero chamar sua atenção para um ponto prático: uma vez que estamos vivenciando o Ano da Misericórdia, precisamos nos perguntar, olhar e perceber quais são as práticas da nossa vida que configuram a misericórdia divina. Este ano, tenho escutado pregações, homilias, tantas coisas belas a respeito da misericórdia, mas, quando olho para dentro de mim, percebo como é difícil vivê-la e colocá-la em prática. A misericórdia se estende para o perdão, para o cuidado com a pessoa do outro. Gostamos muito quando as pessoas são misericordiosas conosco! Entretanto, somos pouco misericordiosos com nosso próximo. Jesus está dizendo a cada um de nós que não basta O invocar como Senhor, não basta dizer: “Senhor Jesus, sou Seu! Sou da Sua Igreja, sou batizado e católico! Sou cristão, sou discípulo, sou padre da Sua Igreja! Sou membro da renovação ou seja lá o que for!”. Esses títulos não dizem nada; pelo contrário, evocam responsabilidades e compromissos. Como estamos colocando em prática a Palavra de Deus? Quando ela está sendo exercitada, vivenciada em nossos atos e atitudes? Para que isso não fique uma coisa muito genérica ou grande na sua vida, pense de forma simples. Examine-se a cada dia! Não vá dormir um dia sequer sem fazer um bom exame de consciência. Não é só dizer: “Ah, eu cometi esses pecadinhos!”. Onde não estamos conseguindo viver e colocar em prática a Palavra de Deus, peçamos: “Senhor, ajude-me! Dê-me a graça de me esforçar mais para viver Sua Palavra”.




Mais Lidas do Mês

O amor segundo a Bíblia.

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Corintios 13: 4-7). Graça e paz do Senhor aos amados irmãos em Cristo em todas as igrejas do mundo que se anunciam pelo seu nome. Amados, um assunto vem me inquietando a muito tempo. O Amor. Porque as pessoas reclamam tanto que não são amadas? Porque tantas pessoas confessam não acreditarem no amor e dizem que ele não existe? Mas afinal, existe ou não amor? Vamos por parte queridos. O amor existe sim, existe e é verdadeiro. O que muitas vezes deixa de existir é a coragem para renunciar a si e amar o outro. Ora meus queridos, a Bíblia diz que o amor não é invejoso, portanto anulamos aquele sentimento que nos leva a desejar um amor exclusivo e possessivo. Percebam …

Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 10,23.

Precisamos deixar que Deus ilumine nosso olhar, para contemplarmos o Seu Reino presente no meio de nós .
“Felizes os olhos que veem o que vós vedes!” (Lucas 10, 23).Jesus está exultando de alegria pelo Pai, louvando e bendizendo, porque não foi aos sábios, aos grandes, poderosos e entendidos que o Pai revelou os segredos do Reino, mas aos humildes de coração, àqueles que dispõe do seu coração qualquer soberba e orgulho, e o abrem para contemplar as manifestações de Deus no meio de nós. Deixe-me dizer ao seu coração: onde está a mão de Deus, que não a vejo? Onde está a graça de Deus quando me toca? Onde estão os prodígios de Deus que as pessoas exultam e eu não consigo ver? Felizes os humildes, os bem-aventurados, aqueles que estão na humildade de coração, porque são esses que contemplam a glória, a ação, a graça de Deus agindo no meio de nós! O problema não é a mão de Deus, que não está agindo, o problema é o nosso coração que não se despiu, não se revestiu de graça e humildade. Se nã…

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 11,130.| Luzia Couto.

“Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” (Lucas 11, 130)Jesus, hoje, continua nos ensinando elementos essenciais que não podem faltar em nossa oração. A nossa oração tem de ser a oração de confiança, para dizermos: “Eu sei o que Jesus pode fazer por mim e eu confio n’Ele!”.Quem confia, não desconfia. Quem confia, sabe esperar. Quem confia, sabe que Deus jamais nos abandonará! Mas, pode ser que no fruto da nossa oração não tenhamos conseguido de Deus aquilo que queríamos. Deus é tão bom e tão Pai, que não dá aquilo que queremos, mas o que precisamos! É preciso pedir, é preciso realmente bater à porta e não deixar nunca de fazer. Sabe meus irmãos, muitas vezes não crescemos nas virtudes, deixamos de aprender muitas coisas na vida porque não temos perseverança e insistência. Somos bons para começarmos muitas coisas, somos bons para fazermos muitos propósitos, mas à medida que aparecem dificuld…