Pular para o conteúdo principal

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 17,15.| Luzia Couto


Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz” (Lucas 17, 15).No Evangelho que meditamos no dia de hoje, dez leprosos foram curados por Jesus. Que bênção! Pois eles viviam numa situação de penúria e discriminação já que a lepra os deixava marginalizados e longe de todos. Os leprosos aproximaram-se de Deus, a graça de Deus aproximou-se deles por meio de Jesus e, assim, eles ficaram curados. Dos dez leprosos curados, nove foram para o seu canto, entretanto, apenas um levantou os braços para o céu e em alta voz louvou e agradeceu o santo nome do Senhor, porque reconheceu que foi Ele quem fez maravilhas em sua vida. Que dureza de coração. Que coração insano e ingrato que não reconhece e valoriza o bem que os outros nos fazem. Meus irmãos, precisamos de fato aprender a ter a virtude do reconhecimento. Reconhecer a grandeza e o poder de Deus, reconhecer como Ele tem sido bondoso conosco e como tem agido em nosso meio. Aquele que tem a virtude do reconhecimento, terá no seu coração, também, a gratidão. Às vezes, as pessoas nos fazem o bem, querem nos ver bem, querem nos ajudar nesta ou naquela situação, mas não sabemos nem dizer “Muito obrigado!”’. Deus habita no coração que sabe agradecer. Deus não precisa do nosso agradecimento ou está esperando que possamos agradecê-Lo. A atitude de gratidão é uma atitude de oração, que liga o nosso coração ao coração de Deus.
Não estamos fazendo comércio com Deus nem Ele faz comércio conosco. O que Ele quer, acima de tudo, mais do que uma doença curada, do que um bem recebido ou uma graça alcançada, é que o nosso coração esteja em sintonia e conectado a Ele.
Para o nosso coração estar ligado em Deus precisa da oração de ação de graças, do agradecimento e do louvor. Precisamos exaltar e exultar o Senhor naquele que cuida de nós e só nos faz o bem.
Mesmo que estejamos em meio às tribulações e situações complicadas da vida, aprendamos a ter atitude de gratidão para com Deus. Não há oração mais poderosa, que liberta a nossa alma, o nosso coração, o nosso ser do que a oração do louvor e da ação de graças!
Deus não precisa do nosso louvor, somos nós quem precisamos louvar, engrandecer e agradecer ao nome d’Ele! Quando fazemos isso a nossa alma se liberta, o nosso coração torna-se mais livre e não nos prendemos ao mal.  Quando estamos louvando a Deus, estamos dizendo que é ao príncipe deste mundo que queremos voltar o nosso coração: ao Senhor e Nosso Deus!
Precisamos parar, ter a sensatez, olhar para a nossa vida e reconhecer quão grande, bondoso e poderoso tem sido o Senhor Nosso Deus em nosso favor.
A Deus todo louvor, toda honra, toda a glória e ação de graças! Não seja um filho insensato e ingrato, não pertença ao número daqueles que só querem receber; não seja do número daqueles que são somente ‘venha ao vosso reino’ e não vão ao Reino de Deus louvar, bendizer e agradecer.
Que as bênçãos de Deus só cresçam em nossa vida!

Mais Lidas do Mês

O amor segundo a Bíblia.

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Corintios 13: 4-7). Graça e paz do Senhor aos amados irmãos em Cristo em todas as igrejas do mundo que se anunciam pelo seu nome. Amados, um assunto vem me inquietando a muito tempo. O Amor. Porque as pessoas reclamam tanto que não são amadas? Porque tantas pessoas confessam não acreditarem no amor e dizem que ele não existe? Mas afinal, existe ou não amor? Vamos por parte queridos. O amor existe sim, existe e é verdadeiro. O que muitas vezes deixa de existir é a coragem para renunciar a si e amar o outro. Ora meus queridos, a Bíblia diz que o amor não é invejoso, portanto anulamos aquele sentimento que nos leva a desejar um amor exclusivo e possessivo. Percebam …

Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 10,23.

Precisamos deixar que Deus ilumine nosso olhar, para contemplarmos o Seu Reino presente no meio de nós .
“Felizes os olhos que veem o que vós vedes!” (Lucas 10, 23).Jesus está exultando de alegria pelo Pai, louvando e bendizendo, porque não foi aos sábios, aos grandes, poderosos e entendidos que o Pai revelou os segredos do Reino, mas aos humildes de coração, àqueles que dispõe do seu coração qualquer soberba e orgulho, e o abrem para contemplar as manifestações de Deus no meio de nós. Deixe-me dizer ao seu coração: onde está a mão de Deus, que não a vejo? Onde está a graça de Deus quando me toca? Onde estão os prodígios de Deus que as pessoas exultam e eu não consigo ver? Felizes os humildes, os bem-aventurados, aqueles que estão na humildade de coração, porque são esses que contemplam a glória, a ação, a graça de Deus agindo no meio de nós! O problema não é a mão de Deus, que não está agindo, o problema é o nosso coração que não se despiu, não se revestiu de graça e humildade. Se nã…

Literatura | Gospel | Pequena Reflexão | Lucas 11,130.| Luzia Couto.

“Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” (Lucas 11, 130)Jesus, hoje, continua nos ensinando elementos essenciais que não podem faltar em nossa oração. A nossa oração tem de ser a oração de confiança, para dizermos: “Eu sei o que Jesus pode fazer por mim e eu confio n’Ele!”.Quem confia, não desconfia. Quem confia, sabe esperar. Quem confia, sabe que Deus jamais nos abandonará! Mas, pode ser que no fruto da nossa oração não tenhamos conseguido de Deus aquilo que queríamos. Deus é tão bom e tão Pai, que não dá aquilo que queremos, mas o que precisamos! É preciso pedir, é preciso realmente bater à porta e não deixar nunca de fazer. Sabe meus irmãos, muitas vezes não crescemos nas virtudes, deixamos de aprender muitas coisas na vida porque não temos perseverança e insistência. Somos bons para começarmos muitas coisas, somos bons para fazermos muitos propósitos, mas à medida que aparecem dificuld…